domingo, 3 de junho de 2012

CUMPRIR A TERRA: Sardinhas Santos Verão Portugal Mar Sustentabilidade Cidadania

Chegamos, novamente, ao tempo das festas populares, celebradas e vividas por todo o território português “Jardim à beira-mar plantado”, segundo um verso do poeta, político, romancista e historiador - Tomás Ribeiro (cfr http://nestahora.blogspot.pt/2007/09/um-jardim-beira-mar-plantado.html, acedido em 31.05.2012).


E, sem sardinhas, como festejar, por exemplo, as festas de Lisboa para matar saudades e animar a alma e o espírito? A sardinha, desde a maior à mais pequenina pode ser quase toda comida e as espinhas não se atravessam facilmente nos canais gástricos. É uma das espécies mais ricas em ómega-3, tal como o salmão e o atum. Ajuda a circulação sanguínea mas também é rica em fósforo e cálcio, produz vitalidade, dureza e sanidade dos ossos (cfr http://saude.abril.com.br/edicoes/0303/nutricao/conteudo_352137.shtml, acedido em 31.05.2012). Contudo tem vindo a rarear na costa portuguesa, onde tradicionalmente aparecia com abundância e qualidade.


Como principal causa da diminuição desta espécie, aponta-se a pesca excessiva. Que fazer perante estes dados? É curial que não se proíba totalmente a captura, mas que seja limitada no tempo e se evite capturar enquanto pequenina. Cada um de nós que tem por hábito comer várias unidades poderia reduzir a quantidade, tendo em atenção de que Terra e o Mar não se coadunam com abusos e desperdícios. Todos somos um elo na cadeia e devemos manter este elo, reforçá-lo e respeitá-lo. Nestas festas populares e neste verão consumamos com regra e tenhamos em conta a dádiva e a graça de que é termos um dos melhores peixes do mundo.


3 comentários:

  1. Caro Fred,

    Essas sardinhas estão a pedir um vinho de "estalo". Não tenhamos mais olho do que barriga, o ambiente agradece e, a nossa saúde também.Saúde e ambiente o elo perfeito.
    Abraços,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Adri,

      Tal como na sardinha, Portugal tem o melhor ou, pelo menos, dos melhores vinhos do mundo, sendo que, tal como me dizia um familiar meu:
      «O vinho alivia os deprimidos, consola os tristes, inspira os jovens e rejuvenesce os velhos».
      Contei este ditado a um conterrâneo e caro amigo que, na Casa das Beiras, em Lisboa, acompanhados com um velho tinto, rematou o ditado com a seguinte frase:
      «O vinho é amigo dos moderados e inimigo dos beberões».
      Finalizámos o ditado, dizendo:
      «Bebamos pois, à saúde e velha amizade de todos os amigos presentes e com a moderação de um rico tinto acompanhado de um cabritinho e batata assada, à moda de Viseu».
      E com isto desejo que, o seu "FátimaWines" sirva para acompanhar, durante muitos anos, as festas populares com as melhores sardinhas ou outras iguarias.
      Tudo com a devida moderação que a saúde de todos nós e a Terra exigem.
      Um abraço.

      Eliminar
  2. É UM TRABALHO ÓPTIMO.MUITO OBRIGADA.
    CUMPRIMENTOS.

    ResponderEliminar